11 agosto 2015

Sobre o termo quadrilha usado pelo gestor, vereador retruca: “o prefeito entende de quadrilha, não é ele quem organiza o São João de S. A. de Jesus?”


Protagonista das investigações sobre supostas irregularidades na administração do prefeito de Santo Antônio de Jesus, Humberto Soares Leite (PDT), o vereador e professor Uberdan Cardoso (PT) mais uma vez encena no embate contra a gestão municipal. Desta vez ao citar irregularidades no processo de aluguel da sede da Secretaria de Saúde, onde o inquerido imóvel possivelmente pertence ao sogro da então secretária e este por sua vez, segundo Uberdan, cobra um valor superfaturado de aluguel, usando o termo "mala preta". Sobre isso, Cardoso foi acusado pelo gestor de pertencer a uma quadrilha e que provará que as revelações são falsas ameaçando até de processar o edil por conta de suas denúncias.
Sobre o termo quadrilha usado pelo prefeito, vereador questiona: Em entrevista ao repórter Marcus, o vereador disse que as afirmações de Humberto são uma imprudência, “ele quer me chamar para o ringue. Infelizmente este é o prefeito que temos e que faz política com o fígado, quer baixar o nível”, rebateu. Uberdan como já afirmou em outras entrevistas, não pertence a conjunturas politicas e segue uma linha independente, mesmo que alguns do seu partido, o PT, hoje faça parte dos apoiadores da gestão ‘Leitista’. Mais uma vez o vereador declarou que desempenha com honradez o seu papel de legislador e ressaltou ainda que jamais bajulará o então gestor municipal para agradá-lo, “não sou paparicador, nem direi o que apenas o agrade. Meu papel é fiscalizar e assim farei quem não mostra pra ele as verdades são os bajuladores de plantão”, alegou. Acompanhando a repercussão da polêmica com calma, Uberdan comentou ainda a afirmação de Humberto contra ele ao usar o termo quadrilha, “o prefeito, de fato, entende muito bem de quadrilha, não é ele quem organiza o São João da cidade?”, questionou.
Denúncia contra Secretaria de Saúde: Laurijane Mercês, secretária de saúde e nora do suposto dono do imóvel da instituição, disse que não iria se manifestar diante do que apontou o edil para não dar ‘ibope’. A este respeito Uberdan contou que a secretária está comprometida e não pode falar muito para não se envolver mais, “ela está no direito dela, mesmo com respostas evasivas. Existe um requerimento que exige a convocação da sua presença aqui na Câmara para que venha a esclarecer alguns pontos de contratos e negativas de reuniões”, disse. Segundo o vereador, a questão do aluguel da Secretaria é apenas a ponta de um ‘iceberg’ de irregularidades envolvendo a prefeitura e a instituição de Saúde, “eles me apresentam documentos que não provam nada”, pontua.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...