13 maio 2020

MC Gui é internado às pressas após sofrer lesão e passa por cirurgia

O cantor MC Gui foi internado às pressas em um hospital de São Paulo na última terça-feira (12) após sentir fortes dores causadas pela realização de exercícios caseiros.
A princípio os fãs especularam que o rapaz poderia estar com coronavírus, opção descartada pelos médicos e pela família. Em entrevista ao jornal O Dia, o pai do funkeiro, Rogério da Silva, revelou que ele vai precisar de uma cirurgia para reparar o dano.
“O Gui não conseguia falar de tanta dor por todo o corpo, dizia que estava quente e tinha até dificuldades para falar. Nós corremos para o hospital sem saber o que era. Ele passou por vários exames e chegou a tomar morfina para ver se a dor no corpo sumia e como a medicação não surtiu efeito. Só depois de uma ressonância, o médico descobriu que ele rompeu o músculo do trapézio. Foi tão grave a lesão, que vai precisar de uma intervenção cirúrgica”.

A família conta que Gui reconhece que passou do ponto nos exercícios realizados.
“Ontem o prédio liberou a sala de musculação e o Gui foi malhar, esquecendo que estava há praticamente dois meses em casa. Pegou pesado. Horas depois começou a não se sentir bem, mas não achou que tinha sido por conta da musculação”.
*Bahia.Ba

ACM Neto diz que ‘prorrogar mandato é golpe’: ‘Vou lutar contra’

Prefeito de Salvador no segundo mandato, ACM Neto (DEM) não quer ficar mais dois anos à frente do cargo. A hipótese tem sido levantada por conta da discussão de adiamento de mandatos, em decorrência de dificuldades de fazer a eleição por conta da pandemia do novo coronavírus. Hoje (13), em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole, o democrata disse que a possibilidade seria um “golpe” na democracia.
“Não é bom eu ficar dois anos, não é bom para o país e vou lutar contra qualquer tentativa de prorrogação de mandato para coincidir eleição com 2022. Acho que isso, inclusive, é golpe. Tem que se respeitar a Constituição. Se vai dar para fazer eleição em 4 de outubro, é outra história. Acho muito difícil. Essa decisão tem que ser tomada agora, no começo de junho”, opinou.

Neto disse ainda que a eleição poderia acontecer em mais de um final de semana. “Em questão prática, se você me pergunta da votação em si, o ato da eleição, poderia acontecer? Até poderia. Você decide, por exemplo, ao invés de um domingo só, seriam em dois. Ou em um final de semana só, ser em dois ou três. Tudo isso é possível, separação de filas, higienização do processo de votação, votação por ordem alfabética em cada sessão. O que não dá para ser feito é a campanha. E não existe eleição sem campanha, vamos ser claros”.
*M1

Campeã do BBB, Thelma Assis estrela campanha da Prefeitura de São Paulo

O Big Brother Brasil pode até ter acabado, mas vai ser difícil parar de ver a campeã, Thelma Assis na televisão.
A médica, que protagonizou a 20ª edição do reality show, é o rosto da nova campanha da Prefeitura de São Paulo a favor do isolamento social.
No vídeo, a ex-BBB fala sobre seu período de isolamento dentro da casa e pede para que os cidadãos usem de exemplo.
“Eu sou a Thelma. Passei os últimos três meses dentro de uma casa. E agora, eu voltei para minha casa, aqui em Pirituba, perto de onde eu cresci e realizei o sonho de ser médica. E, como médica, eu lhe faço um apelo: fique em casa”.
*Bahia.Ba

Bolsonaro diz que ministro ‘se equivocou’ ao dizer que PF foi mencionada em reunião de 22 de abril

Insistindo que não citou a Polícia Federal no vídeo da reunião com ministros do último dia 22 de abril, o presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira que o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, “se equivocou” ao confirmar a menção, em depoimento na terça-feira. Além de Ramos também o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, atestou em depoimento à Polícia Federal que Bolsonaro citou a PF ao reclamar de relatórios de inteligência produzidos pelo governo.
À Polícia Federal, Ramos afirmou que o presidente “se manifestou de forma contundente sobre a qualidade de órgãos de inteligência produzidos pela Abin, Forças Armadas, Polícia Federal”.  Heleno disse o mesmo.
– O Ramos se equivocou. Mas como é reunião, eu tenho o vídeo. O Ramos, se ele falou isso, se equivocou – declarou Bolsonaro.
A cobrança de Bolsonaro por mais relatórios da PF foi relatada pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro ao pedir demissão do cargo. Segundo Moro, além de supostamente tentar interferir politicamente na Polícia Federal com a troca do diretor-geral e também do superintendente do órgão no Rio de Janeiro, Bolsonaro também queria ter acesso aos documentos produzidos pela PF.
Nos depoimentos, Ramos e Heleno ressalvam que o presidente queria apenas ter mais informações para aprimorar as ações do governo e não se referia a relatórios de investigações policiais.
Questionado na manhã desta quarta-feira se o vai divulgar o vídeo entregue na semana passada ao Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente disse ser favorável, mas que o assunto está sendo tratado pela Advocacia-Geral da República (AGU), que o representa no inquérito.
– Eu não sei se eu posso conversar, porque eu faço parte do processo… eu não posso conversar com o Celso de Mello, porque eu faço do processo. Mas eu vou levar, aproveitando a tua sugestão aí, ao AGU, o ministro Levi, se a gente pode divulgar essa parte. Se eu não me engano, o Celso de Mello ontem oficiou aí o advogado do Moro, a AGU e a Justiça exatamente para ver se a gente entra nessa linha para divulgar, mesmo com os palavrões que eu falo sempre – declarou, encerrando a entrevista na portaria do Palácio da Alvorada.
Antes, Bolsonaro havia dito que não teve acesso aos depoimentos dos três ministros que falaram na terça, Ramos, Heleno e o chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto.
Lembrado que a segurança do presidente e da sua família fica a cargo do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e que sua cobrança teria sido feita ao então ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, Bolsonaro disse não ter falado o nome do ex-juiz federal na reunião.
– Eu não falei o nome dele no vídeo. Não existe a palavra Sergio Moro. Eu cobrei a minha segurança pessoal no Rio de Janeiro. A PF não faz minha segurança pessoal, quem faz é o GSI.
Sobre sua fala referente à substituição do responsável pela segurança, o presidente foi indagado se estava se referindo ao chefe do GSI, Augusto Heleno, ou a Moro e disse que “está na cara”:
– Quem trata de segurança? O ministro é o Heleno – declarou, sendo em seguida questionado se cogitou demiti-lo. – Não, não vou entrar em detalhe, tá? Quem faz a minha segurança é ele, quem faz a minha segurança ele. O vídeo está bem claro, a reunião está clara.
Bolsonaro falou ainda que ia divulgar o vídeo da reunião antes, mas resolveu “segurar” quando Moro citou o encontro, deixando o ex-ministro falar.
– Deixa ele falar, pô. Ele tá me acusando. Porque se eu mostro agora, ele não ia falar nada.

Não haverá mais reuniões

Bolsonaro afirmou na sequência que fica incomodado com mentiras e mencionou o depoimento do ex-diretor da PF, Maurício Valeixo, que segundo ele negou ter havido interferência política “em nada”.
– Ele [Valeixo] mesmo disse. O próprio Moro também, evasivo, não fala nada. Você pode ver, esse vídeo era para ser destruído como sempre eu faço. Pega a cena que interessa e destrói. Estava na iminência de destruir quando apareceu o depoimento do Moro. Então eu falei “não vou destruir, porque se eu destruo iam ficar martelando em cima de mim a vida toda que eu teria interferido na PF na reunião de ministros. Eu deixei o vídeo. E o vídeo passou na íntegra, toda a reunião de ministros, toda, sem exceção. Agora não fiquem pegando outros pontos para criar problema para o governo, lá é uma reunião reservada.
O presidente anunciou então que não haverá mais reuniões do conselho de governo, como a que ocorreu no dia 22 de abril e na terça-feira, quando ele disse ter tratado da cotação do dólar frente ao real. A partir de agora, segundo Bolsonaro, haverá apenas um “café da manhã” de confraternização uma vez por mês, de uma hora e meia, no máximo.
– O resto eu vou tratar individualmente com cada ministro, para evitar esse tipo de problema […] Todo dia eu recebo alguns ministros – declarou.
Bolsonaro afirmou ainda que o Rio de Janeiro é fértil para o trabalho da Polícia Federal, que pode empregar todo o seu efetivo em “talvez um dos Estados mais complicados do Brasil”.
*OGlobo

09 maio 2020

Danilo Gentili compara Bolsonaro a Satanás e gera polêmica na web

Danilo Gentili causou polêmica nas redes sociais ao publicar um desabafo sobre pessoas que citam versículos bíblicos, mas agem de forma contrária. Sem citar Jair Bolsonaro, o humorista usou falas do presidente para ilustrar sua opinião.
“O pessoal que adora postar versículo bíblico dizendo ‘conhecereis a verdade’ e ‘tudo coberto será descoberto’ são os primeiros a esconder exame, vídeo e inventar fake news e narrativa falsa”, disse.
Tweet de Danilo Gentili sobre Bolsonaro
São iguais Satanás citando a Bíblia pra Jesus: só a citam pra proveito próprio e escuso”, escreveu o artista no Twitter.
Em outubro do ano passado, Bolsonaro publicou um print de uma matéria sobre a morte de Marielle Franco e inseriu na legenda o versículo citado por Gentili. O comentário do humorista expõe, ainda, o fato de o presidente ainda não ter revelado o resultado de seu exame para a Covid-19.

Babu Santana é o novo contratado da Globo: “Paizão não tá mais desempregado”

O ator Babu Santana está feliz da vida. Ele compartilhou com seus seguidores, nesta sexta-feira (8), que foi oficialmente contratado pela Rede Globo.
“Em tempos difíceis, como esse que passamos, é um privilégio dizer a vocês que: Paizão não tá mais desempregado! Gratidão a @redeglobo e a todos vcs que torceram e torcem por mim! FAVELAAAAAAAA”, escreveu o artista. Na imagem compartilhada, ele aparece todo orgulhoso ostentando o novo crachá da empresa.
A novidade foi comemorada por artistas como Thiaguinho, Fernanda Paes Leme, Caio Castro, Lexa, Jonathan Azevedo, Cacau Protásio, Fabricio Boliveira, entre outros famosos. A postagem no Instagram recebeu mais de 608 mil curtidas e 35 mil comentários.
Babu foi o quarto colocado do Big Brother Brasil 20 e teve a torcida de milhões de pessoas durante o confinamento.
Fonte: Bnews

Gado invade lotérica e assusta quem sacava auxílio emergencial; veja vídeo

Um boi entrou em uma lotérica e assustou pessoas que estavam na fila de pagamento do auxílio emergencial em Poção, no Agreste de Pernambuco, nessa quinta-feira (7). O fato inusitado aconteceu em uma farmácia da cidade onde funciona uma lotérica.
Câmeras de segurança do local flagraram as cenas. Nas imagens, é possível ver um boi entrando no local e seguindo para a lotérica, que fica nos fundos do estabelecimento. Ele foi até as filas do caixa. Um vaqueiro entrou na loja e conseguiu retirar o animal.

06 maio 2020

Brasil soma mais 600 mortes e vítimas oficiais do coronavírus vão a 7.921

Brasil soma mais 600 mortes por covid-19 nesta terça-feira e vítimas oficiais do coronavírus vão a 7.921. O Ministério da Saúde registrou ainda 6.935 novas infecções (uma alta de 6% em relação ao dia anterior), enquanto 48.221 pessoas são consideradas recuperadas. Entre as vítimas do novo coronavírus está uma criança indígena de um ano, da etnia Guarani, na Terra Indígena Tenonndé-Porã, em São Paulo. O óbito, confirmado na noite de segunda-feira, aconteceu no último dia 21, de acordo com a Associação dos Povos Indígenas (APIB), em São Paulo. Líderes indígenas brasileiros pediram à Organização Mundial da Saúde (OMS) a criação de um fundo de emergência para ajudar a proteger suas comunidades da ameaça da pandemia. Em meio à crise de saúde pública, o depoimento do ex-ministro Sergio Moro à Polícia Federal abriu mais um capítulo da crise política brasileira: segundo o ex-juiz, o presidente Jair Bolsonaropressionou pela troca da chefia da PF do Rio de Janeiro.
Fonte: El País Brasil

Prazo para regularização da situação eleitoral termina nesta quarta-feira

Termina nesta quarta-feira (6) o prazo para os cidadãos regularizarem a situação cadastral eleitoral. Somente os eleitores sem pendências com a Justiça Eleitoral estarão aptos a votar nas eleições municipais deste ano. Os requerimentos de regularização devem ser feitos por meio eletrônico.
Ao todo, serão eleitos novos prefeitos e vereadores de 5.568 cidades brasileiras. Segundo o calendário eleitoral, o primeiro turno das eleições será em 4 de outubro. O segundo turno está marcado para 25 de outubro.
A regularização deve ser feita por meio do Título Net, sistema que pode ser acessado pelos sites dos tribunais regionais eleitorais. Também será possível fazer o alistamento eleitoral (primeira via do título), transferência de domicílio eleitoral, alteração de dados, entre outros serviços.
Diante da pandemia do novo coronavírus, o atendimento remoto dos eleitores foi determinado por resoluções editadas pela presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministra Rosa Weber.
Segundo o TSE, quase 420 mil requerimentos de eleitores foram recebidos pela Justiça Eleitoral até agora. A partir de 7 de maio até o final da eleição, o cadastro eleitoral ficará fechado, período em que nenhuma alteração poderá ser efetuada no registro do eleitor. Nesse período, somente a emissão da segunda via do título é permitida.

21 abril 2020

Coronavírus: a ‘ilha dos milionários’ em Miami que está testando todos os seus habitantes

-
Dizem que uma imagem pode valer mais que mil palavras e, atualmente em Miami, parece haver dois retratos que refletem perfeitamente o sistema de saúde dos Estados Unidos.
De um lado, filas de veículos no estacionamento de um estádio em busca de um teste para o coronavírus; de outro, uma ilha exclusiva onde mora a elite com uma clínica privada aberta somente para fazer testes rápidos para a covid-19 em todos os seus residentes e funcionários, que são mais de 1.000 pessoas.
Há muitos detalhes que não são visíveis nessas imagens, como o fato de que os testes são diferentes nos dois lugares e cumprem diferentes funções. Mas ambas evidenciam a profunda desigualdade de acesso à saúde no país.
No meio de uma pandemia como a do coronavírus, essa diferença pode determinar a diferença entre quem vive e quem morre. Não é de se estranhar, portanto, que tais fotografias venham sendo alvo de polêmica.

Fisher Island

A controvérsia cresceu depois que o jornal The Miami Herald publicou que Fisher Island, um dos bairros mais ricos dos Estados Unidos, havia decidido comprar milhares de testes rápidos de covid-19 para o Sistema de Saúde da Universidade de Miami (UHealth), uma entidade privada.
“Para minimizar ainda mais a disseminação na densamente povoada ilha, onde metade dos moradores tem mais de 60 anos e alto risco, a Fisher Island solicitou à UHealth que lhes fornecesse testes de anticorpos covid-19 para todos os seus funcionários e residentes “, afirmou à BBC News Mundo, o serviço em espanhol da BBC, a porta-voz da ilha, Sissy DeMaria.
Fisher Island, colada à icônica Miami Beach, abriu um centro e os testes já estão sendo realizados, junto com outras medidas de prevenção.
Só é possível chegar a Fisher Island de barco
Só é possível chegar a Fisher Island de barco Foto: Getty Images / BBC News Brasil
A UHealth reconhece que seu serviço “pode ter dado a impressão de que algumas comunidades receberiam tratamento preferencial”, mas afirma, no entanto, que essa não era sua “intenção”.
“Um dos primeiros casos confirmados de coronavírus no condado de Miami-Dade foi em Fisher Island, mais da metade da população é maior de 60 anos e muitos moradores estavam voltando do nordeste”, a zona mais atingida pela covid-19, destaca a porta-voz Lisa Worley em um breve comunicado.
O centro universitário tem colaborado com agências governamentais e de saúde pública e realizou uma iniciativa para testar anticorpos contra a covid-19 em 3.500 pessoas aleatórias na Flórida, informou a imprensa local.

‘Escandalizados’

Apesar disso, as notícias sobre Fisher Island rapidamente geraram uma onda de frustração e raiva, em razão da escassez de equipamentos e o acesso limitado a testes para o restante da população.
“Os americanos e, em parte, o resto do mundo, estão escandalizados ao descobrir que muita gente abastada pode usar seus recursos para conseguir vantagens quando tem uma necessidade médica, incluindo em uma epidemia, mas isso tem sido assim desde sempre. É algo que os americanos parecem tolerar”, aponta Arthur Caplan, diretor de Ética Médica da Universidade de Nova York.
“Os Estados Unidos nunca reconheceram o direito à saúde. Muitos americanos obtiveram sua cobertura de saúde por meio do trabalho, o que significa que, eticamente, têm de conquistá-la. E se deixam de trabalhar, a perdem.”
O sistema de saúde americano funciona em sua maioria à base de seguros privados, mas milhões de pessoas não os possuem, ou têm coberturas insuficientes.
“Quando não há um sistema que atenda a todas as pessoas, então existe um menor sentido ético de responsabilidade comunitária”, pondera o especialista.
Nesta crise, o governo está adquirindo um papel maior que o habitual em nível federal, mas em muitos aspectos, são os Estados que têm o controle, também em questões de saúde.
Na Flórida, as autoridades instalaram oito clínicas móveis nas comunidades mais afetadas, de acordo com o Departamento de Saúde.
Um dos serviços com maior demanda está localizado em um dos estacionamentos do estádio Hard Hock em Miami, onde se celebrou este ano a final do SuperBowl.
O estacionamento do estádio Hard Hock é um dois lugares de testes instalados pelo Estado da Flórida
O estacionamento do estádio Hard Hock é um dois lugares de testes instalados pelo Estado da Flórida Foto: Getty Images / BBC News Brasil
Ali, as equipes médicas realizam diariamente os chamados testes PCR, que constatam se uma pessoa tem covid-19 por meio de uma amostra recolhida do nariz ou garganta analisada em laboratório.
Esse atendimento é diferente do que é realizado na Fisher Island, onde um exame de sangue rápido pode somente determinar se uma pessoa já teve a doença, mas não se está infectada.
Dada a quantidade de pessoas que correram para o estacionamento no Hard Rock, o pessoal da saúde teve que colocar o sinal de “fechado” pouco depois de abrir as portas por vários dias na semana passada.
Essa procura levou a um aumento da capacidade, de 400 testes diários a 750, e se relaxaram os requisitos.

Outros exemplos

O caso de Fisher Island, no entanto, não é o único a evidenciar as desigualdades nessa crise de saúde, em que os Estados Unidos são a nação mais afetada em número de mortos e infectados, segundo os dados oficiais.
A imprensa americana noticiou, por exemplo, o caso de uma multinacional biomédica no Colorado que decidiu comprar testes rápidos para anticorpos covid-19 para todo um Condado, onde moram cerca de 8.000 pessoas, incluindo dois de seus executivos durante uma parte do ano.
A BBC News Mundo entrou em contato com a empresa, mas não obteve resposta.
Estados Unidos se tornaram o epicentro da epidemia Foto: Getty Images / BBC News Brasil
Também ganhou fama o caso de uma comunidade de alta renda em Westport, Connecticut, que tentou o acesso a testes privados, e cita os serviços dos chamados médicos concierge, que estão oferecendo testes em domicílio.
David Nazarian é um desses profissionais. Ele tem uma clínica no luxuoso bairro de Beverly Hills, em Los Angeles, o médico observou um aumento persistente no número de consultas desde o princípio da epidemia e montou um centro de testes para atender no sistema “drive through”.
“Eu trabalhei muito desde o começo porque considero muito importante (…) É uma crise que todos estamos enfrentando. Pobres e ricos. Não é sobre isso. É sobre o que todos podemos fazer para controlar esse vírus. Se não o fizermos, não pararemos as infecções e não conseguiremos levar as pessoas a retomarem suas vidas. Essa é a pergunta mais importante, porque todos sofrerão “, acredita ele.
Sua clientela se compõe basicamente por famílias ou indivíduos do mundo do entretenimento ou altos executivos, mas o profissional assegura que seus serviços estão disponíveis a todos, por um preço que ele prefere não revelar.
No entanto, Nazarian trata uma porcentagem de seus pacientes gratuitamente há 10 anos, uma tarefa que ele continua realizando neste momento crucial, afirma ele em conversa com a BBC News Mundo.
Califórnia é um dos Estados que melhor responderam à covid-19, segundo os especialistas Foto: Getty Images / BBC News Brasil
A equipe do médico realizou testes PCR ou de anticorpos em casa ou em sua clínica móvel, assim como para as empresas, com os materiais que puderam comprar e um pouco de criatividade diante da escassez de recursos, criando alguns materiais.
“Não há nenhuma dúvida que existem desigualdades e, infelizmente, sempre foi assim. Gostaria que não fosse. Todos deveriam ter acesso a uma boa saúde. Todo o mundo deveria poder fazer o teste”, diz.
Em sua opinião, o governo deveria estar fazendo mais. “É lamentável que vivamos nos Estados Unidos e estejamos ficando para trás na capacidade de testes em relação a outros países.”
Após os problemas com os testes no início da pandemia, os EUA agora estão realizando cerca de 150.000 testes diários. Mas, na opinião dos maiores especialistas da área, o número deveria ser muito maior: entre 5 milhões e 22 milhões por dia.
“Este país é um Estado falido”, lamentava um enfermeiro anestesista de um hospital de Nova York no começo do mês, revelando um dos momentos mais trágicos de sua carreira.
O profissional, Derrick Smith, compartilhou no Facebook as últimas palavras de um paciente de covid-19 em estado crítico antes que fosse entubado e conectado a um respirador.
“Quem vai pagar por isso?”, lhe perguntou o paciente com visível dificuldade para respirar e falar, momentos antes de ligar para a esposa, pois muitos doentes “nunca se recuperam depois de entubados”, contou o profissional.
A dramática cena leva inevitavelmente a uma reflexão: será que essa pandemia brutal causará uma mudança nos EUA?
“Não apostaria nisso”, diz Caplan. Nos Estados Unidos, pondera o especialista, as ideias antigas pesam: a saúde é um privilégio, não um direito.

Anitta posa de maiô cavadíssimo e fio-dental na frente do espelho antes do treino - Foto: Reprodução

-

Quando se adverte à população que fique atenta aos sintomas do coronavírus, três deles são apontados de forma unânime: tosse, febre e problemas respiratórios. Mas não são os únicos. Profissionais da atenção primária afirmam que também devemos prestar atenção a outros sinais. Do contrário, quando chegar o momento de controlar como a pandemia evolui, faltarão dados fundamentais para decidir o ritmo e o alcance da redução do confinamento.
“Desde o início, começamos suspeitar que havia outros sintomas”, diz Ricardo González, diretor do Centro de Saúde de San Fermín (Madri). Ele cita a urticária e a diarreia como dois possíveis indicadores da doença vistos com grande frequência. “Quando chega alguém assim, mandamos para a zona dos respiratórios [área criada nos hospitais da Espanha para casos suspeitos da covid-19]”, afirma, admitindo que os profissionais de saúde trabalham sem protocolos sobre esses sinais, agindo com base no que leem e contam uns aos outros.
Na última sexta-feira, um editorial da revista The British Medical Journal apontou na mesma direção. E, além da perda de paladar e olfato (anosmia), detectada há apenas um mês, a publicação agregou transtornos neurológicos, AVC, desorientação, dor de cabeça, miocardite, trombose e problemas de visão a essas manifestações.
A lista de sinais suspeitos de infecção por coronavírus cresce segundo a experiência de cada profissional. A presidenta da Associação Espanhola de Enfermaria Pediátrica, Isabel Morales, por exemplo, diz que suas colegas de ambulatório comentam sobre a incidência de diarreia, comichão e frieira nas crianças.
“Ainda estamos aprendendo como o vírus se comporta” diz o pediatra Aser García Rada. “Há um mês, a anosmia foi relacionada com o vírus; há 15 dias, alguns colegas advertiram sobre a urticária. O problema é que a extensão e a intensidade dos sintomas são muito amplas. Agora dizemos às pessoas que fiquem em casa se tiverem tosse, febre ou dispneia [dificuldade de respiração], mas há uma semana deixamos que voltassem ao trabalho pessoas que não sabem identificar se sua dor de cabeça se deve ao coronavírus, e isso é um perigo”, afirma. A revista concorda: ignorar essas manifestações pode reativar a o ciclo de transmissões. “Agora podemos ver, em uma mesma casa, que o pai tem a gripe mais forte de sua vida; a mãe, dor de cabeça e de garganta; o filho pequeno, bronquiolite; e o mais velho, uma gastroenterite de uma semana”, diz o pediatra.
Por isso, Rada propõe tratar qualquer infecção aguda como possível Covid-19 até que ela seja descartada pelo teste. “O problema é que não temos os testes”, queixa-se o médico, que é diretor de um ambulatório. Enquanto isso, a detecção desses casos dependerá do olho clínico dos profissionais. (El Paris)

Anitta faz exercícios de body fio-dental, exibe bumbum durinho e marca detalhes do corpão

-

Dona de um corpo perfeito, a funkeira Anitta surpreendeu os seguidores nas redes sociais nesta terça-feira, 21, ao eleger um body ousadíssimo para cumprir a rotina de exercícios.
Antes de participar de uma aula de balé fitness, a estrela posou na frente do espelho exibindo a peça escolhida para fazer os exercícios: ela elegeu um maiô fio-dental supercavado que deixou de fora a marquinha poderosa da cantora.
Na tarde desta segunda-feira (20), Anitta se envolveu bastante com a disputa do paredão do BBB20 ao dizer que faria uma live caso Manu Gavassi fosse eliminada do reality. Depois, ela fez uma live com exercícios e contou, meio envergonhada, que ainda não tinha tomado banho.
No fim da tarde, ela foi brincar com Miriam, sua mãe. “Mãe, decidi que só vou tomar banho se a mãe ficar no BBB“, disse a cantora. A mãe, bem-humorada, respondeu: “Então você vai ficar fedendo até morrer“.
No início do mês, a funkeira deu uma indireta daquelas para uma das participantes do reality. “Feminista de Taubaté é quem fala o que vocês da internet querem ouvir pra virar top, mas na vida real pisa na primeira mulher que ver na frente que não se enquadra. Te mando um livro cheinho de coisas que fiz e faço botando minha cara a tapa não só por mim, mas por várias”, disparou ela.
Anitta posa de maiô cavadíssimo e fio-dental na frente do espelho antes do treino - Foto: Reprodução

O casal de idosos que descobriu por acaso a covid-19 e venceu a doença em Alagoas

-

Há 65 anos, os alagoanos Jovino Feitosa, de 92 anos, e Zélia Feitosa, de 85, prometeram um para o outro que estariam juntos “na saúde e na doença”.
Esse juramento nunca fez tanto sentido como há poucos dias, quando descobriram, por acaso, que estava com covid-19. Os dois se trataram e se curaram da doença provocada pelo novo coronavírus.
Pela idade, os dois faziam parte do grupo de risco para a doença. O casal mora em Maceió e não é de muitas palavras. À BBC News Brasil, apenas o agropecuarista aposentado Jovino falou, de maneira breve.
“Estou muito bem. O corona veio, eu peguei ele pelas orelhas e botei pra fora”, brincou. “Estou muito bem e acompanhado pela família, graças a Deus.”
Em um vídeo gravado por Jovino, ele se despede da doença: “Adeus, covid, até nunca mais”.
Segundo um dos netos do casal, o empresário Sérgio Feitosa, os avós não apresentavam os sintomas da doença, e a descoberta só veio após Zélia ter ido a um hospital particular para tratar um corte na perna que não cicatrizava.
“Isso aconteceu em 30 de março. Levamos ela ao hospital e quando tiraram os sinais vitais dela, ela estava com a saturação (de oxigênio) baixa. Foi aí que fizeram uma exame que deu pneumonia e suspeitaram da covid-19”, comentou.
De acordo com ele, foram feitos dois testes para covid-19, analisados em laboratórios de diferentes Estados.
O de Alagoas deu negativo, mas o feito em Minas Gerais deu positivo. “Aí foi preciso fazer um terceiro teste rápido, em Maceió, que apontou resultado positivo”, contou o neto.
A essa altura, havia uma grande preocupação também com a probabilidade de Jovino, o avô, também ter pego o coronavírus.
Jovino é sete anos mais velho do que Zélia e tem fibrose pulmonar – por isso, já precisa usar um cilindro de oxigênio.
“Ele sempre ficou em alguns momentos mais cansado e teve diarreia e falta de apetite. Não achamos que ele estava com a doença, porque esses sintomas sempre foram ‘normais’. Mas, quando fizemos o teste nele, deu positivo”, disse Feitosa.
Os membros da família e três funcionários que trabalham na residência também fizeram os testes, mas todos deram negativo para covid-19.

Tratamento separado

Ambos foram tratados por médicos particulares. Zélia precisou ser internada, mas Jovino ficou em casa. Mesmo separados, os dois receberam praticamente o mesmo tratamento.
O pneumologista Tadeu Lopes, do Hospital Memorial Arthur Ramos, tratou Zélia e contou à BBC News Brasil que a idosa ficou internada por 13 dias, alguns deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
Segundo o médico, o caso foi considerado grave, mas ela não precisou ficar entubada. Ela foi tratada com uma combinação de hidroxicloroquina, dois antibióticos (azitromicina e ceftarolina) e um antiviral, o Tamiflu, indicado para gripe.
“Ela evoluiu bem e respondeu satisfatoriamente às medicações, não apresentando reações à hidroxicloroquina ou efeitos colaterais”, explicou o médico.
Segundo Lopes, Zélia pode ser considerada recuperada. “Se levarmos em conta os critérios clínicos, sim, ela está assintomática no momento”, disse o médico.
Já Jovino foi tratado em casa por uma equipe de profissionais da saúde, entre eles a pneumologista Fátima Alécio, que disse que o estado de saúde de Jovino era considerado “moderado estável.”
“Seguindo o protocolo do Ministério da Saúde, utilizei o tratamento com hidroxicloroquina e azitromicina. Mas ele estava estável, sendo tratado em casa, com assistência médica 24h e tinha toda uma estrutura de hospital”, disse ela.
Alécio enfatizou que não há recomendação para que as pessoas tomem medicamentos por conta própria sem supervisão médica. “Se alguém está sentindo algo, deve procurar uma unidade de saúde e receber orientação médica.”
Para a família, a cura de ambos, diante de tantas mortes de idosos pela covid-19 — 73% dos pacientes que vieram a óbito no Brasil têm mais de 60 anos, de acordo com os dados mais recentes do ministério da Saúde —, pode ser considerada um milagre.
“A nossa família crê muito em Deus, e nós acreditamos que isso foi um milagre, que eles são muito abençoados. Eles estão bem em casa”, disse o neto do casal.

24 março 2020

Caixa recebe mais de 100 mil pedidos de pausa em financiamento imobiliário


-A Caixa Econômica Federal já registrou mais de 100 mil pedidos de pausa nas prestações de financiamento imobiliário desde que esse benefício foi anunciado, na quinta-feira, 19, informou nesta segunda-feira, 23, o vice-presidente do banco público, Jair Mahl. Ainda não há levantamento preciso do quanto isso representa em termos de valores.
Devido à pandemia do coronavírus e seus impactos sobre a economia, a Caixa anunciou, na semana passada, que as pessoas físicas poderão solicitar a pausa de até duas prestações pelo próprio aplicativo, sem a necessidade de comparecimento às agências.
A medida também vale para construtoras, que têm contratos de empréstimos para a produção dos imóveis. No entanto, a pausa não elimina os juros previstos nos contratos.
Neste momento, o banco está avaliando internamente a possibilidade de ampliar a pausa para até três parcelas, tanto para pessoa física quanto jurídica, disse a equipe da Caixa, durante videoconferência organizada pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

Por coronavírus, STF suspende pagamento da dívida de R$ 5,5 bilhões da Bahia com a União

-O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu temporariamente o pagamento da dívida de R$ 5,5 bilhões da Bahia com a União. A decisão partiu do ministro do STF Alexandre Moraes, nesta segunda-feira (23), e atendeu ação que pedia a interrupção do pagamento sem multa contratual, restrição cadastral ou qualquer forma de bloqueio ou retenção na transferência de recursos do Estado.
O argumento apresentado pelo estado da Bahia é de que é adimplente há mais de 20 anos, mas “o contexto social, econômico e político ensejado pela dispersão pandêmica do coronavírus configura, a toda evidência, razão bastante para a revisão judicial dos contratos de refinanciamento entre o Estado da Bahia e a União”.
Ao analisar o caso, o ministro apontou que a ação possui os requisitos necessários para concessão da tutela provisória de urgência nos termos do artigo 300 do Código de Processo Civil. (BN)