10 maio 2014

Médico de SAJ admite demissão coletiva e desabafa: “Prefeitura ao invés de ajudar Luiz Argolo gastará cerca de R$ 5 milhões no São João”

Após anúncio de que o quadro clínico do Hospital Luís Argolo estaria pedindo demissão em massa devido à falta de pagamentos de salários, o Dr. Antônio Carlos, médico cirurgião, concedeu entrevista a Recôncavo FM na manhã desta sexta-feira (9) e confirmou que a reunião entre os médicos e a provedoria da Santa Casa aconteceu e que de fato a decisão de demissão em massa é real, “a Recôncavo FM e o Voz da Bahia deu em primeira mão essa situação”, disse. Antônio Carlos deixou claro que a questão não está relacionada à parte convênios, nem no sistema particular, apenas no SUS (Sistema Único de Saúde), “o problema na Santa Casa é na parte obstetrícia do SUS. Então ficou decidido que os médicos que prestam este serviço irão pedir demissão coletiva”, declarou. Exemplificando os últimos acontecimentos onde o Hospital Geral Clériston Andrade, em Feira de Santana foi acometido pelo mesmo problema, o entrevistado proferiu que a saúde pública não só na Bahia como no país está pedindo socorro, “o Governo Estadual já está informado desta decisão e o Secretário de Saúde da Bahia conhece os problemas da Santa Casa. Esperamos que façam alguma coisa e não permitam que o hospital feche”, desabafou.
Dr. Antônio Carlos afirmou ainda que na próxima segunda-feira (12), às 18h uma reunião acontecerá entre médicos e provedoria e na oportunidade promoverão uma coletiva de imprensa para explicar os reais motivos da decisão, “iremos expor a condição da Santa Casa e assim esperamos que os órgãos competentes tomem uma decisão antes que o pior ocorra que é o fechamento da Unidade Hospitalar”, anunciou. Segundo o profissional de saúde, médicos e funcionários estão a mais de 10 meses sem receber salários.  “Parabenizo a atitude da Secretaria de Saúde, Laurijane Mercês que reconheceu pela primeira vez que a verba destinada a Santa Casa é irrisória e insuficiente, este repasse é do Ministério da Saúde e não o Convênio firmado entre a administração municipal e o Hospital, tendo em vista que este foi cancelado na gestão atual, a Prefeitura é um mero repassador do dinheiro que o Ministério da Saúde destina ao SUS, só isso”, garantiu.
Expondo as condições reais, o médico falou que alguns setores, principalmente os procedimentos cirúrgicos estão sendo extintos na Santa Casa, como exemplificou as cirurgias de próstatas e ginecológicas, “infelizmente estes serviços, pelo SUS, foram fechados”, exibiu. Devido a deficiências nos serviços de saúde, o profissional avisou que mesmo existindo médicos de diversas especialidades atuando nos Postos de Saúde e não existir condições de tratamento adequadas, toda a ação é nula, “do que importa um médico dizer que ele precisa realizar um procedimento cirúrgico se o município não oferece o serviço?” questionou. Carlos ressaltou que vários profissionais estão descredenciados ou não estão interessados em trabalhar para a saúde pública, “devido ao descaso e desrespeitos com os profissionais que a saúde pública está degradada”, opinou. Para Antônio a iniciativa do Programa Mais Médico não resolverá o problema, como informou que a saúde não carece de profissionais e sim de qualidade no serviço e no atendimento, “não adianta dizer que é falta de médico, o que há é a falta de condição de trabalho. A prefeitura ao invés de ajudar com o hospital gastará cerca de R$ 5 milhões com a festa do São João, que já está sendo divulgada para toda a Bahia. Onde está o Ministério Público que não fiscaliza essa situação?”, arguiu.
Dr. Antônio Carlos finaliza a entrevista interrogando: “Quanto à prefeitura de Santo Antônio de Jesus tira dos cofres públicos para o Hospital Luís Argolo? Não digo dos repasses dos Governos federal e estadual, questiono do seu próprio bolso, quanto é?”.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...