11 maio 2015

Tom é contrário ao aumento de vereadores na Câmara de S. A. de Jesus

Na última sessão na Câmara de Vereadores da cidade de Santo Antônio de Jesus foi apresentado uma emenda parlamentar que aumenta para 17 o número de edis a serem incluídos nas eleições de 2016. Quatro votos foram contrários à votação mesmo seguindo a lei orgânica que confirma o acréscimo de até 19 vereadores para uma população maior que 120 mil habitantes. Em entrevista na tarde da última sexta-feira (08) o vereador Antônio Nogueira, conhecido Tom (PSB), mostrou-se contrário à decisão, “temos que ser realista e deixar de fazer teatro”, disse. Tom colocou que a emenda não irá beneficiar em nada a população trazendo apenas ônus aos cofres públicos. Enfático em seu pronunciamento, o vereador disse ainda que o acréscimo favoreceria sim aos partidos e coligações, “o objetivo é único, tornar a reeleição muito mais fácil. Eu particularmente acredito que deve permanecer o número de cadeiras que está ou até a diminuição. A população ainda não está madura suficiente para esta mudança”, salientou. Sempre se mostrando contrário, o vereador acrescentou que aumento é ruim para as finanças da Casa, e justificou sua decisão baseando-se na crise econômica do país que passa por uma recessão, “basta o vereador trabalhar um pouco mais que ele abrangerá uma área maior de atendimento à população. Se fosse um projeto de não reeleição para os vereadores ninguém votaria favorável”, rebateu.
Para Tom o aumento do número de vereadores faz crescer as despesas: Com o acréscimo de três vereadores nas próximas eleições deve-se somar também o numero de servidores e serviços a serem contratados, como citou o parlamentar, assessoria, veículo e despesas, “eles discursam dizendo que não mexerá nas finanças e recursos e é mera enganação. É preciso pensar em qualidade e não em quantidade. A população passa por diversas dificuldades e o dinheiro será gasto com supérfluos. Esse dinheiro deveria ser gasto com medicação e pavimentação porque é disso que a nossa sociedade precisa”, declarou. Para Tom, as discussões e medidas que serão votadas na Câmara deveriam passar pelo crivo da população, já que a sociedade é o patamar da política, “os projetos são lançados de qualquer maneira e o povo não é sequer informado. Muita gente não acompanha a vida politica da cidade e fica sem conhecer de fato o que está acontecendo”, afirmou. A emenda foi analisada e será votada nas próximas sessões. De acordo Tom, o atual presidente da Casa, Luís do Alto (PP) tem agido de forma imparcial em seus pareceres e propostas, “acredito que ele me dará apoio. Sou contra o acréscimo, mais se eu for convencido por aqueles que realmente interessam que é a população de que será beneficiada, estarei aberto em aceitar”, informo. O edil também disse que convocará a sociedade e autoridades governamentais e não governamentais estarem participando das próximas sessões.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...